You are currently viewing As diferentes formas de amamentação: vantagens e desvantagens da amamentação natural com leite materno e da amamentação artificial com fórmulas infantis

As diferentes formas de amamentação: vantagens e desvantagens da amamentação natural com leite materno e da amamentação artificial com fórmulas infantis

Sem dúvida, a amamentação é um momento especial para mãe e filho. Afinal de contas, é um instante de vínculo entre os dois. Por outro lado, a amamentação natural com leite materno nem sempre é uma opção viável, não é mesmo? Certo é que as diferentes formas de amamentação têm suas vantagens e desvantagens.

A amamentação artificial, com fórmulas infantis, por exemplo, podem ser necessárias por diferentes motivos. Entender melhor as diferentes formas de amamentação é de grande valia. Não apenas para o bem-estar da mamãe, como também para a saúde do bebê.

Confira a seguir as vantagens e desvantagens tanto da amamentação natural quanto da amamentação artificial com fórmulas infantis.

Amamentação natural com leite materno

A amamentação natural com leite materno é a forma mais recomendada de alimentação para bebê. No entanto, é importante considerar algumas das desvantagens e desafios da amamentação natural. Veja a seguir as vantagens e as desvantagens dessa forma de amamentação.

Vantagens

  • Benefícios nutricionais: O leite materno é considerado o alimento ideal para o bebê. Ele fornece todos os nutrientes necessários para o crescimento saudável. Além disso, é facilmente digerido, contém os anticorpos da mãe e se adapta às necessidades específicas nos primeiros meses do pequenino.
  • Vínculo emocional: Sem dúvida é uma das maiores vantagens dessa forma de amamentação. O vínculo entre mãe e filho promove o afeto e a conexão. Por meio do contato pele a pele, ocorre a liberação de hormônios, como a ocitocina, que é responsável por estas sensações.
  • Benefícios para a saúde: Diferentes estudos mostram que a amamentação natural reduz o risco de infecções respiratórias, gastrointestinais e alergias em bebês. Também é associada a menor incidência de obesidade, diabetes tipo 2 e outras condições de saúde na infância e na vida adulta. Muito bom, não é mesmo?

Desvantagens

  • Demanda de tempo e energia: A amamentação natural requer tempo, atenção e energia da mãe. Nesse sentido, o momento crucial são as primeiras semanas do bebê. A disponibilidade constante para amamentar, sem dúvida, é um desafio para algumas mamães.
  • Problemas físicos: Algumas mães podem enfrentar dificuldades com a amamentação. As mais comuns são rachaduras nos mamilos, ingurgitamento mamário ou mesmo a baixa produção de leite. Estes motivos podem fazer a amamentação natural algo doloroso ou até um pouco frustrante.

Amamentação artificial com fórmulas infantis

De maneira geral, a amamentação artificial, com o uso de fórmulas infantis, é uma alternativa para as mães que não podem ou optam por não amamentar. Por outro lado, existem considerações importantes a serem feitas sobre a amamentação artificial. Veja a seguir as vantagens e as desvantagens dessa forma de amamentação.

Vantagens

  • Flexibilidade e conveniência: A amamentação artificial permite que outras pessoas possam alimentar o bebê. Nesse sentido, pode ser útil para as mães que precisam retornar ao trabalho, por exemplo. Além disso, ajuda a compartilhar a responsabilidade da alimentação do pequenino.
  • Controle da alimentação: Adotar a fórmula infantil permite medir exatamente a quantidade de alimento que o bebê consome. Dessa maneira, facilita o monitoramento da ingestão nutricional. Pode ser bem-vindo, principalmente quando este tipo de controle for necessário.
  • Menos restrições alimentares: A amamentação artificial permite que a mãe possa ter uma dieta mais variada. Isso quer dizer que fica livre de restrições específicas que possam afetar a qualidade do leite materno.

Desvantagens

  • Menos benefícios do leite materno: Ainda que as fórmulas infantis sejam criadas para fornecer nutrientes essenciais, não podem replicar completamente a composição do leite materno. No fim das contas, pode haver menos benefícios imunológicos para o bebê.
  • Custo financeiro: As fórmulas infantis podem ser caras e representar um custo pesado ao orçamento familiar, principalmente a longo prazo.
  • Menor vínculo emocional: A amamentação artificial pode resultar em uma menor interação entre mãe e bebê. Esse contato ajuda – e muito – no desenvolvimento do pequenino. Além disso, pode afetar o vínculo emocional entre os dois.

Afinal, qual a melhor forma de amamentação?

Tanto a amamentação natural com leite materno quanto a amamentação artificial com fórmulas infantis apresentam vantagens e desvantagens. Não há uma resposta definitiva. Afinal de contas, depende muito de cada caso, de cada mãe e de cada bebê.

Entender cada situação é fundamental para a escolha. E ela deve levar em conta a mamãe e também o pequenino. No entanto, independente da forma de amamentação, sempre vale muito um ambiente amoroso e carinhoso para que o bebê cresça.

Vale lembrar que todas essas situações que envolvem a forma de amamentar seu pequeno, mamãe, podem e devem ser discutidas com o seu médico. Afinal de contas, o acompanhamento e o melhor para o bebê vai além das consultas pré-natal.

Gostou desse post, mamãe? Continue acompanhando o Blog da Bilila Baby para mais conteúdos que vão te ajudar nessa jornada incrível da sua vida.

Deixe um comentário