You are currently viewing Alimentação para bebê de 1 ano: o que deve ser evitado

Alimentação para bebê de 1 ano: o que deve ser evitado

Além do leite materno, após os seis meses de idade é necessário introduzir outros alimentos à dieta do bebê. Porém, nem tudo está liberado. Confira o post!

O sistema digestivo dos bebês menores de 1 ano ainda está em fase de desenvolvimento, por isso é muito delicado. Assim, é preciso evitar alguns alimentos, principalmente os que possuem altos níveis de conservantes, açúcares e substâncias que podem causar alergia alimentar no bebê.

Também devem ser evitados os alimentos que têm baixo valor nutricional e os que podem engasgar o pequeno.

É fundamental lembrar, ainda, que até os seis meses o ideal é que o bebê seja alimentado exclusivamente com leite materno ou fórmula quando indicado, e só a partir daí, deve ter início a introdução alimentar do bebê, com a oferta de outras fontes de nutrientes.

Prossiga com a leitura e saiba quais são os itens proibidos na alimentação infantil no primeiro ano de vida e o porquê deles serem desaconselháveis!

Doces


Como o próprio nome indica, os doces têm um nível elevado de açúcar, além de altos índices de corantes e goma, que são substâncias totalmente dispensáveis para crianças pequenas.

 

De forma natural, os bebês sentem o doce no paladar. Entretanto, o consumo de doces faz com que esse nível de doçura no paladar aumente, o que leva a criança a querer alimentos cada vez mais açucarados.

 

Além de serem muito pobres em termos nutricionais, os doces também provocam cárie nos dentinhos e contribuem para quadros de obesidade infantil.

 

Chocolates

Difícil encontrar quem não goste de chocolate – e o pequenos não são exceção – mas o fato é que ele possui muito açúcar, gordura e cafeína em sua composição. Assim, além dos males tradicionais causados pelos doces, o chocolate também pode causar insônia e irritabilidade.

 

Refrigerantes

Tanto os refrigerantes quanto qualquer outra bebida que tenha gás ou seja aromatizada não são indicados para crianças menores de 1 ano. A fórmula dos refrigerantes têm altos teores de açúcar, cafeína e aditivos químicos.

Desse modo, os refrigerantes – especialmente os mais escuros – prejudicam a absorção de ferro pelo organismo, contribuindo para quadros de anemia.

 

Sucos industrializados

Esqueça os sucos em pó e preste atenção ao que diz o rótulo dos sucos em caixinha. Os do tipo “néctar” não são indicados. Prefira sempre os integrais ou os que são 100% suco. Porém, o melhor mesmo é fazer a bebida em casa com frutas maduras e frescas, e evitando usar os sucos como substituição de refeições.


Gelatinas

Apesar de ser um alimento leve e aparentemente inofensivo, a gelatina possui conservantes e corantes que podem desencadear alergias de pele nos pequenos. Evite sempre tudo que for artificial e dê preferência aos alimentos naturais, como sucos e papinhas de frutas feitos em casa.

Bolachas recheadas

Você sabia que uma única bolacha recheada contém todo o colesterol que um bebê pode ingerir por dia? Além disso, elas são pobres em nutrientes e doces demais, causando alterações no paladar do pequeno.

 

Salgadinhos industrializados

Os salgadinhos industrializados, especialmente os fritos, têm gordura, conservantes e sódio em excesso, por isso não são nada saudáveis. 

Se você quiser liberar o consumo deste alimento quando o seu filho for maiorzinho, dê preferência aos assados e controle a quantidade que será consumida. Nada de comer salgadinhos todos os dias!

 

Enlatados e embutidos

Esqueça os alimentos enlatados, pois eles têm excesso de sal, baixo valor nutritivo e podem comprometer a digestão. Além disso, possuem validade longa porque são cheios de conservantes. 

O mesmo deve ser feito com relação aos embutidos, como presunto, salsicha e outros. Eles também são pouco nutritivos e cheios de conservantes e gorduras, que são ingredientes nada saudáveis.

 

Peixes e frutos do mar

Apesar de serem alimentos saudáveis, os peixes e os frutos do mar devem ser usados com muita cautela na alimentação de crianças menores de 1 ano devido ao risco de alergias.

Leite de vaca

O leite de vaca não deve servir como alimentação complementar para bebês menores de 1 ano, pois ele tem digestão difícil e pode ocasionar prisão de ventre, além de intolerância alimentar e anemia. 

 

Mel

O mel é um alimento saudável, sim, porém ele pode esconder um tipo de toxina que, em alguns casos, resulta numa forma de botulismo (infecção bacteriana) em crianças menores de 2 anos.

Isso pode acontecer porque, nessa idade, a flora intestinal do bebê ainda não consegue impedir a ação do tipo de bactéria responsável pelo botulismo. 

Além disso, pelo fato do sistema imunológico não estar totalmente desenvolvido, também existe o risco de ocorrer alergia ao pólen, que pode até mesmo causar asfixia.

 

Castanhas, nozes e amendoim

Esses alimentos oferecem risco de alergias em bebês menores de 1 ano. Além disso, o amendoim, em especial, pode conter uma substância chamada de “aflatoxina”.

A aflatoxina é um elemento tóxico originado de um fungo, que se desenvolve nas condições em que esses grãos são cultivados, aumentando ainda mais as chances de intoxicação.


Fique atenta!

Não restam dúvidas de que frutas são alimentos saudáveis, mas é preciso atentar-se para o fato de que as frutas fora de época costumam ter mais agrotóxicos. Ao oferecer o alimento ao bebê, lembre-se também de retirar as sementes.


Conclusão

A introdução alimentar é uma fase importante na vida do bebê, porém é necessário ter muito cuidado ao incluir novos alimentos à dieta do pequeno, inclusive para evitar reações alérgicas.

 

Após os seis meses, devem ser oferecidos sucos e alimentos pastosos e, gradualmente, alimentos sólidos. Para saber mais, converse bastante com o pediatra sobre a melhor maneira de alimentar o seu bebê menor de 1 ano.

Você gostou deste conteúdo? Então compartilhe-o com seus amigos nas redes sociais. E aproveite para conferir outros artigos interessantes no nosso blog!

Deixe um comentário