You are currently viewing Como tornar sua gestação mais leve?

Como tornar sua gestação mais leve?

A gravidez é um momento único na vida de uma mulher e certeza que você já se questionou se existe uma maneira de ter uma gestação mais leve e tranquila.

Saber que seu corpo está gerando uma vida é algo mágico, mas que também gera muita expectativa, ansiedade e dúvida.

E para que tudo ocorra bem e seja um período tranquilo, além de iniciar o pré-natal logo após a descoberta da gestação, é preciso tomar alguns cuidados em relação à saúde física e emocional.

Durante o período gestacional, devido à montanha-russa de hormônios aliados às novidades que uma gravidez traz, a mulher fica mais sensível a tudo e isso pode não ser tão bom.

Por isso é importante ter hábitos saudáveis durante a gestação, pois ajudam a impedir que fatores externos e alheios à vontade da mãe interfiram na gravidez.

Então se você está grávida ou planejando engravidar, possivelmente conhece alguns conselhos básicos de autocuidado e cuidado do bebê durante o período gestacional. Porém, separamos algumas outras dicas para ajudar as mamães a terem uma gestação mais leve, segura, saudável e tranquila.

12 mitos e verdades da gestação

Antes de engravidar

Se você ainda está se preparando para engravidar, uma das primeiras dicas é: cuide da sua saúde. Evite o consumo exagerado de bebidas alcoólicas, cigarros e outros hábitos que podem afetar sua saúde.

Pratique exercícios físicos e alimente-se bem. Esses hábitos serão levados para a gestação, mas podem sofrer algumas restrições.

O consumo de ácido fólico no período pré-gestacional também é muito importante e é uma das vantagens de uma gravidez programada. Essa vitamina é fundamental na formação do bebê, visto que é encarregada de reduzir o risco de deficiências no cérebro e na coluna vertebral. O ideal é iniciar o consumo de um a três meses antes de começar as tentativas de engravidar.

Faça seu enxoval com a Bilila Baby

Engravidei! E agora? 

Pré-natal

Assim que você tiver o resultado positivo, busque um médico obstetra e inicie imediatamente o pré-natal. Você deve se identificar e confiar neste profissional, pois ele estará com você durante toda a sua gestação. Você deve se sentir acolhida e a vontade para questionar qualquer dúvida ou curiosidade durante a gestação.

Também é de extrema importância que você faça as suas consultas de pré-natal regularmente, visto que o acompanhamento médico da gravidez é fundamental para que a mulher saiba que está tudo bem com a saúde dela e do bebê.

Mesmo tomando todos os cuidados, uma gestante pode desenvolver algum problema de uma consulta para a outra que pode pôr em risco a sua saúde e, consequentemente, a do bebê. Por isso a importância de consultas regulares e sempre que sentir qualquer desconforto anormal.

Por fim, pergunte ao seu médico a respeito de cada etapa do pré-natal e as alterações esperadas para cada fase. Algumas modificações podem estar acompanhadas de sintomas, o que não significa que todos os sintomas diferentes são condições de risco ou problemas.

Alimentação

É comum a expressão “comer por dois” quando se trata de uma gestante. Mas não é exatamente assim que funciona. Durante as refeições, é fundamental pensar no bebê, mas você não deve prezar pela quantidade, mas sim pela qualidade, que é o que vai determinar se uma alimentação é saudável ou não. 

Durante a gestação, o corpo absorve melhor os nutrientes, por isso é importante manter uma alimentação saudável e balanceada. Isso fará toda a diferença na formação do seu bebê desde quando ele for um pequeno embrião até o seu nascimento.

Em contrapartida, devido à fácil absorção dos nutrientes, a gestante poderá ganhar peso com facilidade e adquirir diabetes gestacional, que pode causar diversos problemas à mãe e ao filho.

Para manter uma alimentação saudável, opte por alimentos carregados de vitaminas e minerais, como frutas, verduras e legumes. Inclua também grãos e cereais integrais, leite pasteurizado e seus derivados desnatados, ovos cozidos e carnes magras.

Evite o consumo de alimentos crus, como ovos-moles, carnes mal passadas e peixes crus. Abandone totalmente o consumo de bebidas alcoólicas, pois pode afetar a formação do feto, levando a problemas cognitivos e de déficit intelectual, bem como possíveis anormalidades faciais.

Contenha o consumo de sal para a pressão arterial ficar equilibrada, procure também diminuir o consumo de açúcar. Os alimentos do tipo diet e light, os adoçantes artificiais e a cafeína deve ser consumidos com moderação. 

Confira 10 dicas para ter uma gravidez tranquila

Exercícios

Lembre-se: gravidez não é doença. Se a sua gravidez não é de risco e você não está sofrendo com problemas de enjôo, pratique exercícios físicos. Ele é fundamental para uma gestação mais leve, pois produz sensação de bem-estar e relaxamento.

Se você já praticava exercícios físicos antes de engravidar, converse com o seu preparador físico para que ele passe atividades que não vão causar nenhum mal a você e ao bebê. Mas se você nunca se exercitou, deve pegar leve. Exercícios físicos podem aumentar o trabalho cardíaco, o peso do corpo e dificultar a respiração. 

Manter o corpo em movimento ajuda a diminuir alterações ósseas e posturais comuns na gravidez. Além disso, ajuda a manter o peso, diminuir as dores lombares e no quadril e acelera a  recuperação no pós-parto.

Os exercícios mais recomendados para uma gestante são caminhadas, corridas leves, pilates, hidroginástica e alongamentos. Para quem já praticava atividades antes, é possível continuar com musculação de baixa intensidade (sempre com o aval do médico).

Cuide da saúde mental

É natural que durante a gravidez, as preocupações e ansiedades aumentem, principalmente quando é preciso administrar o trabalho e as tarefas de casa.

Por isso, para ter uma gestação leve, é importante ter boas noites de sono, conversar a respeito das suas dúvidas e medos, bem como estar aberta à ajuda de familiares e amigos para tarefas do dia a dia.

Por mais tentador que seja, evite ficar sozinha antes e depois do nascimento do bebê. O cansaço físico e mental no período final da gestação, assim como nos primeiros meses do bebê é grande e inevitável, o que aumenta as chances da mãe desenvolver depressão pós-parto. 

Sempre que possível, mantenha-se perto das pessoas que podem ajudar, tanto nas tarefas da casa e do bebê, quanto no seu bem-estar.

Deixe um comentário