You are currently viewing Como funciona o plano de saúde para gestante?

Como funciona o plano de saúde para gestante?

A gravidez é um momento especial e de muita expectativa para a família, mas também traz algumas dúvidas e preocupações relacionadas à saúde da gestante e do bebê. Por isso, ter o acompanhamento de bons profissionais desde o pré-natal até o pós-parto é essencial.

Então se você já está grávida ou planejando ter um bebê, talvez contratar um plano de saúde seja uma boa opção. E caso você já tenha um, leia este artigo para entender quais as diferenças e como o seu plano funciona enquanto você é gestante.

O que o plano de saúde para gestante tem de diferente?

Existem algumas características diferentes no plano de saúde para gestante, pois além de incluir as coberturas oferecidas pelos planos convencionais, como exames, consultas, internações, assistência hospitalar e ambulatorial, ele também disponibiliza o acesso ao atendimento obstétrico, que garante cobertura para o parto.

Por isso, mulheres que têm a intenção de ter filhos devem contratar um plano de saúde que possibilite a cobertura obstetrícia e é importante fazer essa contratação antecipadamente porque muitos planos de saúde – incluindo os planos de saúde para gestante – possuem carência para alguns procedimentos.

Segundo a Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS), o limite dos prazos para carência dos serviços são os seguintes:

  • 24 horas para atendimento de emergência e urgência;
  • 24 horas para tratamento de doenças preexistentes;
  • 300 dias para partos; e
  • 180 dias para exames, consultas e outros procedimentos.

Entretanto, muitas operadoras de saúde costumam exigir o prazo de 180 dias apenas para procedimentos mais complexos, como cirurgias eletivas, quimioterapias, radioterapias e exames de alta complexidade. É bastante usual que a exigência de prazos seja menor para procedimentos mais simples.

Porém, se você planeja engravidar, não espere mais para contratar um plano de saúde com cobertura obstétrica. Assim, você não precisará se preocupar com essas questões e terá uma gravidez mais tranquila.

Gostou do conteúdo? Então acesse nosso blog e confira mais dicas sobre gestação

Posso contratar o plano de saúde para gestante para começar o pré-natal?

Caso já esteja grávida e contrate o plano de saúde, terá direito de usar os benefícios para realizar o pré-natal. Mas, a depender da operadora, não terá carência para todos os exames pedidos pelo obstetra.

Por isso, o melhor é pesquisar para descobrir algum convênio que seja maleável quanto ao tempo de carência para os atendimentos, de modo que você consiga ser totalmente assistida durante a gestação.

Vale ressaltar que, havendo alguma complicação antes da 37ª semana da gestação, o seu atendimento estará garantido, já que se enquadra como uma condição de urgência e emergência.

Outra possibilidade é contratar um plano coletivo empresarial ou por adesão, que geralmente dispensa a carência, mas, para contratar um desses planos e obter isenção, é preciso ser funcionário de uma empresa.

Se você já possui um plano e deseja somente mudar de convênio, o melhor é optar pela portabilidade, pois assim a carência cumprida no antigo plano prevalecerá e será possível garantir a isenção. Por isso, tenha cautela ao cancelar um plano para adquirir outro.

Como escolher o melhor plano de saúde para gestante?

Existem diferentes modalidades de planos, mas o ideal é optar pela cobertura integral, que tem em seu pacote consultas, exames, procedimentos ambulatoriais, internações e parto. Assim, o recomendado é o plano “ambulatorial + hospitalar com obstetrícia”. Mas se desejar apenas cobertura de internações e parto, há o plano “hospitalar + obstetrícia”.

Além disso, outras coisas também podem ser escolhidas, como: tipo de acomodação, que pode ser enfermaria ou quarto privado. Há também a opção de contratação de um plano com livre escolha de prestadores de serviços. Essa alternativa é ideal para quem quer ter liberdade de escolha de maternidade/hospital ou profissional de sua confiança para realizar o parto.

Ao escolher um profissional não vinculado ao plano de saúde, é possível solicitar o reembolso à operadora. Contudo, o reembolso das despesas será de acordo com a cobertura e os limites pré-estabelecidos no contrato do plano.

Quais atendimentos terei no momento do parto?

Além das opções mencionadas anteriormente, a gestante terá direito ao corpo de profissionais previsto no plano de saúde, caso não seja possível ter o acompanhamento dos profissionais escolhidos por ela.

Vale ressaltar que, quanto ao atendimento que será disponibilizado, tudo vai depender do plano adquirido. Na melhor opção, a gestante vai contar o todo o apoio ambulatório, hospitalar e obstétrico.

Outro ponto importante é a presença do acompanhante durante o pré-parto, parto e pós-parto por um período de 48 horas. Esse período pode ser estendido por até 10 dias se o médico assistente indicar necessidade do acompanhante por mais tempo.

Carência para cobertura de parto

Apesar do prazo de carência para parto ser de até 300 dias, de acordo com a Lei n. 9.656/98 acerca dos planos de saúde, existem uma exceção: se o parto ocorrer de forma prematura (em caráter de urgência).

Essa mesma lei estabelece o prazo máximo de 24 horas contadas a partir da assinatura do contrato. É considerado caso de urgência atendimentos resultantes de acidentes pessoais ou de complicações no processo de gestação, que é onde se enquadra o parto prematuro.

É preciso estar atenta, pois muitas operadoras autorizam a cobertura do parto prematuro, mas apenas nas primeiras 12 horas de internação. Esta limitação não está prevista em lei e é considerada abusiva.

Siga a Bilila Baby no Instagram

Plano de saúde para o recém-nascido

Certamente uma das suas preocupações deve ser se o bebê terá cobertura do plano de saúde para gestante. A resposta é: sim! Durante 30 dias, o bebê poderá realizar exames e consultas por meio do plano de saúde materno.

No caso do plano de saúde estar em nome do pai, o bebê também poderá usufruir os benefícios durante os seus primeiros 30 dias de vida.

Após esse período, o bebê deverá ser incluído como dependente em um plano de saúde específico para recém-nascidos.

Quanto custa um plano de saúde para gestante?

Da mesma forma que ocorre com os planos de saúde convencionais, o valor dos planos para gestante também varia conforme a idade, região e tipo de cobertura. No entanto, se você não quer depender da saúde pública ou arcar com o alto custo das consultas e demais procedimentos médicos particulares, a opção por um plano de saúde para gestante precisa ser considerada.

Existe uma grande oferta de planos de saúde no mercado, por isso, reserve um tempo para pesquisar e analisar com calma qual tipo de convênio oferece o melhor custo-benefício. Resolvendo esta questão, você ficará mais despreocupada e tranquila para curtir a espera do seu bebê!

Deixe um comentário