You are currently viewing Ergonomia do quarto do bebê?

Ergonomia do quarto do bebê?

Ergonomia para quarto de bebê? Tá aí uma coisa que não ouvimos falar muito, não é mesmo? Ouvimos falar sobre segurança do quarto do bebê, ou sobre ergonomia no ambiente de trabalho…

Quando falamos em segurança do quarto do bebê, normalmente pensamos nos riscos oferecidos aos pequenos. Já quando pensamos em ergonomia, estamos pensando em seus cuidadores. Ou seja, as pessoas que estarão “trabalhando” no quarto. Na maioria dos casos, estamos falando da nova mamãe que, em pleno pós-parto, passará horas e mais horas nas atividades de cuidados com o bebê. Essas atividades serão repetitivas e teremos uma mamãe que com frequência estará muito cansada. Ou seja, é preciso cuidado com o ambiente para evitar lesões ou problemas posturais.

Ponha a máscara de oxigênio em você primeiro!

Uma frase que ouvi no começo da minha jornada de mãe e que me marcou muito: put on your own oxygen mask first! Em português, seria “ponha a máscara de oxigênio em você primeiro”. Trata-se de uma filosofia que diz que precisamos estar bem de uma maneira geral para oferecermos os melhores cuidados aos nossos pequenos. Fez todo o sentido pra mim!

Com o passar dos dias (e noites!) o cansaço vai se acumulando, as tarefas se repetindo. Com o passar do tempo, pequenos detalhes na ergonomia do quarto do bebê vão fazendo a diferença no bem-estar da mamãe! Veja alguns pontos a serem observados:

 

Altura do trocador

A altura padrão recomendada por arquitetos para o trocador (ou cômoda) é de cerca de 90 cm.  entre 90cm à 1,10m (para uma comparação rápida, 90cm é normalmente a altura da pia da cozinha). No meu caso, o trocador foi instalado em um nicho adaptado de um antigo nicho de televisão e a altura é de 1m. Eu achei a altura ótima, não preciso me abaixar nada para trocar o bebê. Uma dica é posicionar-se em frente a um trocador e simular como seria uma troca de fralda ou roupa do bebê. Ao fazer isso, observar se há necessidade de abaixar-se ou se há dificuldade de posicionar o bebê no trocador pelo fato de a altura ser muito elevada.

 

Altura da banheira

Ok, este item não fica exatamente no quarto, mas acho que vale a pena comentar. A banheira normalmente é apoiada por um suporte que tem aproximadamente a altura da cintura de um adulto mediano. No meu caso, não consegui encontrar um suporte que fosse mais alto. Resultado: tenho que me abaixar para dar banho no bebê, ou seja, dor nas costas!

Uma solução temporária é utilizar aquelas almofadas ou redes que deixam os bebês apoiados. Assim, você não precisa ficar abaixada para segurar o bebê (poupa bem as costas!). A má notícia é que, conforme os bebês vão ficando maiorzinhos, esses recursos mais atrapalham do que ajudam e você acaba por dispensá-los. Também se recomenda a altura entre 90cm e 1,10m.

 

A poltrona de amamentação

Ah, a poltrona de amamentação… pense em um lugar que você passará muitas horas do dia! E, se tudo der certo, por muitos meses! Por isso, a poltrona é um dos itens que mais influencia na ergonomia do quarto do bebê. Ela deve ser bem confortável, mas de preferência não muito macia. A altura deve ser adequada ao seu porte físico: observe se, ao sentar-se na poltrona, seus pés alcançam o chão, o bumbum encosta bem no encosto e, muito importante, o quadril fica na mesma linha ou ligeiramente acima dos joelhos. Isso fará toda a diferença para a sua lombar com o passar dos dias! Se houver espaço, utilize também um pufe para apoio dos pés. Escolha uma poltrona que tenha braços para apoio, assim na hora da amamentação ficará mais confortável.

 

Adote a “banqueta da mamãe”

Essa ideia não é das mais convencionais, mas é algo que adotamos aqui e que fez toda a diferença! Colocar uma banqueta alta próxima ao berço te permitirá fazer companhia, cantar e conversar com seu bebê sem ter que tirá-lo de lá. É especialmente interessante se você pretende acostumar seu bebê a dormir diretamente no berço (ninguém aqui está falando nada de deixar o bebê chorar, ok?). Imagine ter que ficar um tempão em pé ao lado do berço para fazer companhia ou acalmar o bebê. Com o tempo, o estrado será abaixado e você terá que se debruçar sobre as grades… Não é exatamente isso que esperamos da ergonomia do quarto do bebê!

Confesso que no meu caso não foi planejado: a banqueta foi levada pro quarto um dia e acabou ficando… Por sorte a peça não destoa muito da composição do quarto! O fato é, não consigo imaginar como teria sido sem a banqueta da mamãe todo esse tempo!

 

Ergonomia em tudo!

Listei aqui alguns pontos sobre a ergonomia do quarto do bebê que fizeram a diferença pra mim ao longo do tempo. Porém, a minha dica é observar cada detalhe dos ambientes que você passa bastante tempo. Observe se cadeiras, sofás, etc te deixam em posição confortável. Observe se os balcões, pias, mesas etc te fazem ficar curvada por longos períodos. Além disso, observe se alguma dorzinha sua pode estar sendo causada por “mau uso” dos móveis, utensílios, ferramentas, etc. Ou seja, ponha a máscara em você primeiro e fique atenta!

Siga a Bilila Baby no Instagram para se inspirar e receber dicas. Curta nossa página no Facebook e fique por dentro das novidades.

Deixe um comentário