You are currently viewing Tudo o que você precisa saber sobre a cômoda e o trocador do bebê

Tudo o que você precisa saber sobre a cômoda e o trocador do bebê

Muitas dúvidas surgem na hora de montar o quartinho do bebê. Com a cômoda e o trocador não é diferente! Continue a leitura e saiba tudo o assunto!

Quando você trouxer seu pacotinho para casa, uma das atividades mais frequentes será a troca de fraldas: algo em torno de 8 por dia! Por isso, é fundamental que você tenha uma estação de troca que seja funcional, prática e ergonômica. Estamos falando da cômoda e do trocador, itens coringa para qualquer quartinho de bebê.

Eu preciso de um trocador?

Dá pra viver sem um trocador? Até dá, mas sua qualidade de vida poderá sofrer um pouco. Para trocar as fraldas em cima da cama, por exemplo, você terá que se curvar em uma posição bastante desconfortável. Multiplique essa posição desagradável por oito ou dez vezes ao dia!

Além disso, estará sempre correndo o risco de vazamentos acidentais. Os bebês, principalmente recém-nascidos, parecem ter um sensorzinho que dispara sempre que a fralda é aberta, seja para xixi ou para cocô…

Ou seja, vale a pena investir em um trocador bem colocado!

A cômoda e o trocador: o que avaliar

A maneira mais comum e recomendada de utilizar o trocador no quarto do bebê é sobre uma cômoda. Para isso, antes de comprar, adaptar ou fazer sob medida, é preciso analisar alguns aspectos, como:

  • o espaço disponível para a circulação em volta do trocador
  • local para colocar os acessórios de troca

Além disso, se você tem um espaço reduzido, pense no móvel no longo prazo. Por exemplo, você pode utilizar ele como cômodas e atribuir nichos internos para guardar cestos com brinquedos, ou mesmo acoplar a farmacinha do bebê. Também, você pode adaptar um trocador que, ao longo do tempo, vire uma escrivaninha, ou uma mesa de jogos no quarto do bebê.

Qual é a altura ideal do trocador?

A altura padrão recomendada por arquitetos para o trocador (ou cômoda) é entre 90 cm a 1,10 m.

Uma dica é posicionar-se em frente ao trocador e simular como seria uma troca de fralda ou roupa do bebê. Em seguida, observar se há necessidade de abaixar-se ou se há dificuldade de posicionar o bebê no trocador pelo fato de a altura ser muito elevada.

Outra dica é observar se a altura do trocador está mais ou menos rente à altura do cotovelo da mãe ou da pessoa que cuidará do bebê.

Quais são os tipos de trocador de bebê?

Há diversos tipos de trocador disponíveis, mas listamos aqui os mais comuns:

O trocador padrão nacional

O trocador nacional é aquele que vemos mais comumente e que parece um pequeno colchonete. Ele tem, em média, 70cm de comprimento x 40m de largura x 5cm de grossura.

O trocador americano

O trocador americano normalmente é maior e possui as laterais elevadas. Seu formato assegura o posicionamento do bebê no centro do colchão, garantindo assim mais segurança pros pequenos. Seu tamanho é, em média, 80cm de comprimento x 50cm de largura x 10cm de grossura.

O trocador portátil

Muito útil para famílias com restrição de espaço, o trocador portátil pode ser apoiado sobre o berço e levado para cima e para baixo. Seu tamanho pode variar entre 60 e 70 cm de comprimento x 40 e 50 cm de largura.

O trocador descartável

O trocador descartável é interessante para ser usado em passeios e viagens, principalmente quando tiver que trocar o bebê em lugares cuja limpeza não confiamos 100%. Restaurantes são os principais!

Atente-se para o tamanho entre a cômoda e o trocador de bebê e ao espaço disponível!

Como você viu nos tópicos anteriores, existem vários modelos de trocador disponíveis no mercado (isso que aqui citamos os principais!). Então, antes de escolher por uma cômoda ou por um trocador, você precisa analisar o espaço disponível no quartinho.

Faça medições básicas do quarto, e imagine um pré-layout. A partir disso, faça esboços com os tamanhos que você identificou, para saber se o tamanho da cômoda comporta o tipo de trocador que você deseja.

Caso falte espaço, reorganize a disposição dos móveis ou faça pequenos ajustes nele. Com calma, tudo ficará no seu devido lugar! No próximo tópico falaremos mais sobre o tamanho ideal da cômoda do bebê!

Qual é o tamanho ideal da cômoda do bebê?

O tamanho da cômoda vai depender muito do espaço disponível no quartinho do bebê. Um grande erro de muitos papais e mamães de primeira viagem é colocar móveis muito grandes no cômodo. Isso pode fazer com que você perca espaço valioso de circulação e deixar o quartinho desconfortável.

A cômoda também não pode ser muito pequena. Para poder utilizá-la com um trocador nacional, o ideal é que tenha pelo menos 0,45 x 0,90m.

Considere também algo em torno de 30cm de área livre (além do trocador) sobre a cômoda para acomodar o kit higiene. Tudo isso, claro, se houver espaço disponível no quartinho!

Fique atenta! Nunca, nunca mesmo deixe seu bebê sozinho no trocador! Os relatos de queda de bebês de trocadores infelizmente são comuns. Os acidentes acontecem sempre naquela fração de segundo em que os pais ou cuidadores se distraem.

Eu preciso comprar a cômoda e o trocador?

Assim como o trocador, também podemos viver sem uma cômoda no quarto do bebê. Porém, vai fazer falta! Lembrando que na troca de fraldas é importante ter tudo à mão, a cômoda vai ser super útil para organizar todas as coisinhas do bebê. Além disso, a questão da ergonomia do quarto vai pesando cada vez mais conforme os dias vão passando e o cansaço se acumulando.

Uma dica para a praticidade na hora de usar a cômoda é reservar a primeira gaveta (ou primeiras, se houver mais de uma na parte superior) para os itens mais básicos: fraldas e primeira camada de roupinhas, como bodies, culotes e meias.

Hoje em dia, você encontra diversos modelos de berços que já contam com uma cômoda embutida, é o caso dos berços 5 em 1. Se preferir, adquira modelos mais convencionais, afinal, a funcionalidade deles é a mesma.

Se o espaço for reduzido, aposte em nichos e carrinhos de apoio. Neles você pode guardar muita coisa útil, com a certeza de ter a praticidade do que precisa em mãos de maneira rápida, sem precisar se distrair ou ficar longe do bebê para pegar algo um pouco mais distante.

Caso o afastamento for necessário, por menor que seja, estabeleça o hábito de manter uma mão sobre o bebê durante todo o tempo da troca!

 

Esse conteúdo foi útil para você? Compartilhe-o nas suas redes sociais, ou envie ele para uma mamãe que precisa saber dessas dicas! Quer receber mais informações sobre a montagem do quarto de bebê e tudo o que envolve a maternidade? Cadastre-se aqui embaixo na nossa Newsletter e receba nossos conteúdos em primeira mão!

Deixe um comentário